A gente não quer só comida, a gente quer orgânicos!

No início do mês a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que restringe a venda direta de produtos orgânicos para o consumidor. Mas o que essa restrição está nos dizendo na prática?

O PL dos Orgânicos (Número 4576/2016), com textos de autoria do deputado catarinense Edinho Bez (MDB-SC), cria uma camada extra de complexidade no caminho que leva o produto orgânico para à mesa do consumidor. Ou seja, o comércio direto fica restrito às propriedades particulares ou feiras livres em espaços públicos, exclusivo para agricultores familiares cadastrados junto aos órgãos fiscalizadores.

Claro que não nos espanta o fato do projeto partir da mesma bancada que colocou em votação o PL do Veneno, sobre o qual comentamos no último post.

Tais medidas, vistas claramente como manobras políticas para proteger grandes grupos, parecem seguir o oposto do restante do mundo, que investe em políticas públicas, pesquisa e tecnologia para levar o orgânico para toda a população – caso da Dinamarca, que planeja ser o primeiro país a produzir apenas alimentos orgânicos.

O que nos incomoda é que ambas, além de arbitrárias, vão contra o crescente consumo de alimentos integrais, saudáveis e orgânicos no Brasil.

Para se ter uma ideia, segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), em 2017 o setor registrou crescimento de 20% no faturamento. Ou seja, estamos cada vez mais preocupados com a nossa saúde e com a saúde do planeta e temos que conviver com ações que vão contra os interesses comuns a todos.

Apesar do ‘balde de água fria’ dos projetos de lei que trabalham contra os pequenos produtores, acreditamos que tem muita iniciativa boa por aí esperando oportunidades para virar esse jogo político e trabalhar a favor do crescimento sustentável. E se você também acredita nisso, produz alimentos orgânicos e quer descobrir como estar mais próximo do consumidor, levando saúde e #comidadeverdade para mais brasileiros, chega junto. Isso nos Move!

A Move é uma empresa de consultoria em design estratégico de Santa Catarina. Ajudamos empresas a conhecerem melhor seu consumidor e a se posicionarem de forma coerente no mercado. Vamos conversar?

outras postagens

Portas abertas para a inclusão
Portas abertas para a inclusão

A diversidade no mercado de trabalho gera impactos positivos com ambientes mais criativos, empáticos, tolerantes, saudáveis e produtivos. Ou seja, seu negócio só tem a ganhar com uma política de portas abertas! Vamos falar sobre isso?

Não somos uma agência!
Não somos uma agência!

Não somos uma agência por muitos motivos, mas o mais importante, e mais simples deles, é que não fazemos nenhum tipo de publicidade. Fazemos design para negócios!

Design estratégico: por que marcas relevantes têm proposta de valor definida
Design estratégico: por que marcas relevantes têm proposta de valor definida

Para ter uma história para dividir com consumidores, as marcas precisam conhecer sua identidade, saber por que existem e o que de fato seu produto ou serviço resolve na vida das pessoas.